Pesquisar
Close this search box.

Embedded Insurance: Tecnologia e a Revolução da Distribuição

Embedded Insurance: Tecnologia e a Revolução da Distribuição
Embedded Insurance: Tecnologia e a Revolução da Distribuição

Se você atua ou se interessa pelo setor de Seguros, certamente já ouviu falar sobre Embedded Insurance. Mas o que realmente significa?

Na tradução literal, o termo é traduzido por seguro integrado. Na prática, vai muito além disso. São produtos de consumo com proteção integrada e têm se tornado uma tendência de mercado cada vez mais potente.

Do setor automotivo a bancos, varejo e atacadista, grandes empresas em todo o mundo, estão cada vez mais interessadas em adicionar ofertas de seguros incorporados ao seu modelo de negócios. E como isso funciona?

Um exemplo prático de Embedded Insurance seria um fabricante de eletrônicos que oferece um seguro integrado em seus produtos, como smartphones. Neste caso, além de comprar o celular, o cliente pode receber uma oferta para uma cobertura de seguro contra danos acidentais, roubo ou mal funcionamento por um período determinado. Isso não apenas aumenta percepção de valor do produto pelo cliente, como também oferece uma camada adicional de proteção e tranquilidade ao consumidor, sem a necessidade de adquirir um seguro separado. Por isso, é tão atrativo.

Um Mercado de Bilhões

Uma pesquisa divulgada no Insurtalks, aponta que o mercado de seguros integrado deverá crescer $722 bilhões em prêmios brutos subscritos (GWP) até 2030, o que representa mais de seis vezes seu tamanho atual. A expansão maior será da China e da América do Norte, já que elas representarão mais de dois terços do mercado global até 2030, revela o estudo. No Brasil, assim como em outros países do mundo, o crescimento desse tipo de seguro também ocorre de forma semelhante, ainda que em grau menor.

Isso porque muitas empresas que buscam implementar o Embedded Insurance ainda enfrentam desafios como:

  • Compreender o perfil e a necessidade do cliente;
  • Descobrir os melhores canais para a oferta do produto;
  • Identificar o momento ideal na jornada de compra do consumidor;
  • Desenhar os produtos de seguros com foco em CX, facilitando a aquisição;
  • Construir um projeto de sucesso com dados, para gerar demanda;
  • Disponibilizar os produtos com melhor time-to-market no mercado.

Luiz Carlos Pires, Superintendente Digital, Produtos e CX na Assurant, conversou sobre esses e outros pontos importantes com nosso CEO Aldo Pires, na addplay que aborda o tema.

Luiz Carlos Pires, Superintendente Digital, Produtos e CX na Assurant

“Embedded Insurance não é ‘seguro embutido’. É contextualizado, gera transparência e simplificação. Nem todo seguro deve estar nessa jornada. Não é o produto que define o canal. É o inverso.” 

Luiz destacou, também, que a prática – quando aplicada corretamente – traz diversos benefícios, tanto para os clientes quanto para as empresas.

Embedded Insurance é sobre custo x tecnologia. Com ele, é possível integrar diversos produtos de forma fluida, com menos investimento. Para o mercado de Seguros, gera muita receita, cria lealdade e fideliza a base de clientes com programas de proteção”, revela.

 

Service Design e Embedded Insurance: Qual a Relação?

O comportamento do consumidor mudou, é fato. E abordagem das seguradoras deve seguir o mesmo caminho. Enquanto as mais tradicionais oferecem produtos prontos e tentam fazer com que a demanda se ‘encaixe no produto’, o Service Design adota uma prática oposta, com um olhar profundo e focado no cliente.

Aldo Pires, CEO na add, revela porque utiliza o Service Design nos projetos que realiza para grandes seguradoras:

Aldo Pires, CEO na add

“As seguradoras nasceram com produtos prontos, e tentam fazer com que a demanda se encaixe no produto. O Service Design começa entendendo o consumidor para depois desenvolver o produto.” 

 

O CEO explica que o Service Design orienta o desenvolvimento do produto de seguros entendendo profundamente as necessidades e comportamentos dos consumidores, com técnicas como pesquisa de usuário, prototipagem, inception e cocriação, para desenvolver soluções de seguro que estejam verdadeiramente alinhadas com as expectativas do público-alvo.

Isso significa que a oferta do Embedded Insurance deve ser projetada desde o início com foco no cliente, e feito para se integrar organicamente aos produtos ou serviços existentes, proporcionando uma e xperiência mais eficaz, personalizada e relevante, promovendo uma relação mais próxima e fiel entre as empresas de seguros e seus clientes.

 

Cultura Data-Driven e CX: Dados e Agilidade para os Novos Canais Digitais

Para adequar a oferta de produtos aos novos canais de distribuição (como mobile e digital), é preciso expertise e tecnologia. Entender a linguagem dos nativos digitais e ter profissionais capacitados para explorar as possibilidades de comunicação e marketing do mundo virtual, é fundamental para conectar o público ao negócio de forma genuína e com sucesso.

Isso requer uma compreensão de informações e análise de dados para oferecer a melhor experiência do cliente (CX) sem esquecer da agilidade, ou seja, garantir o time-to-market. É preciso extrair inteligência do ‘novo euro’, os dados e ser ágil na oportunidade de negócio, explica Luiz Pires.

Luiz Carlos Pires, Superintendente Digital, Produtos e CX na Assurant

“Dados. Qualquer player ou seguradora precisa ter dados para entender sobre o produto antes de recomendá-lo. Aí está o Service Design no Embedded Insurance.” 

10 Benefícios da Tecnologia no Embedded  Insurance para Gestores de TI

Gestores de TI que adotam Embedded Insurance podem aproveitar diversas vantagens da tecnologia para melhorar a eficiência operacional, aumentar a satisfação do cliente e impulsionar o crescimento e a inovação dentro de suas organizações.

Listamos os principais motivos para você escolher o time add e ajudar sua empresa nesse processo. Confira: 

  1. Economia de Tempo e Recursos: A automação de processos reduz a necessidade de atividades manuais, gerando um fluxo de trabalho simplificado;
  2. Melhoria na Experiência do Cliente (CX): A escolha da tecnologia certa permite gerar ofertas de seguro mais personalizadas, adaptadas às necessidades dos clientes;
  3. Aumento de Receita: A adoção do Embedded Insurance cria oportunidades de monetização adicional por meio de parcerias com provedores de seguros;
  4. Upselling e Cross-selling: Facilita a venda de seguros adicionais ou complementares, aumentando o ticket médio de vendas;
  5. Mitigação de Riscos:  A expertise do time ajuda a identificar e reduzir o risco de inadimplência e fraudes com monitoramento contínuo;
  6. Dados e Análises: A implantação de coleta de dados em tempo real permite uma análise mais precisa dos riscos e a criação de produtos de seguro mais adequados;
  7. Cibersegurança: Melhora a segurança dos dados dos clientes, protegendo informações sensíveis;
  8. Conformidade: A experiencia em tecnologias para seguros garante que as soluções estejam em adesão às normas;
  9. Vantagem Competitiva: Permite construir soluções com melhor time-to-market;
  10. Inovação: Permite adaptação rápida às mudanças do mercado e às necessidades dos consumidores.

 

Gostou do conteúdo? Assista a live completa no Youtube da add.

Compartilhar
LinkedIn
Facebook
X
Ícone raddar add

Inscreva-se no raddar

Fique por dentro das novidade e tendências em Inovação, Agilidade e Tecnologia.

raddar add